Ficha de projecto: CtLight

PROJECTO COFINANCIADO POR:

DESIGNAÇÃO DO PROJECTO

CÓDIGO DO PROJECTO

EASME/EMFF/2016/1.2.1.4/03/SI2.750419

Instituto Politécnico de Leiria, Instituto de

Ciência e Inovação em Engenharia Mecânica e Engenharia Industrial (INEGI), Universidade de Vigo (UVIGO-CDM), Associação para o

Desenvolvimento de Peniche (ADEPE),

ALGAplus, Biomin, Quest Photonic Devices B.V.

AMALIA – Algae-to-MArket Lab IdeAs: Adding

value to marine invasive seaweeds of the Iberian northwest

CONSÓRCIO

01/02/2017​

31/03/2019

DATA DE INÍCIO

DATA DE CONCLUSÃO

WEBSITE

OBJECTIVOS

O projecto “Algae-to-Market Lab Ideas” está focado na Costa Noroeste Ibérica e visa desenvolver novos produtos e serviços para abordar espécies exóticas invasoras (macroalgas invasoras) garantindo uma exploração sustentável de recursos para alimentação, saúde e aplicações industriais. Tem como objectivo a triagem de macroalgas marinhas invasoras – como Asparagopsis armata, Sargassum muticum, Codium frágil, Colpomenia peregrine, Grateloupia turuturu, Undaria pinatifida e Caulerpa racemosa, entre outras – para identificação e isolamento de moléculas de alto valor e extratos enriquecidos com propriedades farmacológicas, potencial dos alimentos para animais e dos géneros alimentícios, impulsionando o desenvolvimento de produtos de elevado valor acrescentado que poderão ser implantados no mercado dentro de 2 a 4 anos. Além disso, o projecto também esté focado no desenvolvimento de ferramentas inovadoras de monitorização baseadas em sensores para serem integradas num detector em fase inicial de espécies invasoras. 

A abordagem do projecto consiste em criar atalhos inteligentes para gerar produtos de "tempo de desenvolvimento curto" a partir de recursos marinhos, impulsionados por uma abordagem biotecnológica azul para produzir produtos prontos para ir ao mercado, acrescentando valor aos recursos marinhos e contribuindo para o crescimento azul. O objectivo é desenvolver 2 produtos bioactivos à base de algas marinhas dentro de 2 anos (uma ração para aquicultura e um produto de frutos do mar) e outros dois produtos dentro de 4 anos (um sensor de monitoramento e um produto alimentar de algas marinhas). 

O projecto contribuirá para inverter o défice comercial de algas marinhas neste espaço atlântico e contribuirá para a competitividade europeia, apoiando o desenvolvimento de uma economia azul sustentável, impulsionando a exploração comercial dos novos produtos, e a sua consequente criação de emprego e outras oportunidades de negócio, ao mesmo tempo que promover a preservação dos ecossistemas marinhos.

 

MAIS DETALHES